Vitaminas.com.vc

Veneno à mesa? Saiba como se proteger dos agrotóxicos



Você está fazendo tudo certo. Passou a consumir menos produtos industrializados, incluiu grãos integrais na dieta, foi à feira. Mesmo assim, notou que a sua saúde não melhorou por completo. Saiba: nem sempre a culpa é sua.

Sabe aquelas frutas, folhas e vegetais supercoloridos, enormes e brilhantes expostos no hortifruti? Estão todos carregados de agrotóxicos.

Veja só o ranking dos 10 alimentos mais contaminados por agrotóxicos do Brasil, segundo a ANVISA:

  1. Pimentão – 91,8%
  2. Morango – 63,4%
  3. Pepino – 57,4%
  4. Alface – 54,2%
  5. Cenoura – 49,6%
  6. Abacaxi – 31,8%
  7. Beterraba – 32,6%
  8. Couve – 31,9%
  9. Mamão – 30,4%
  10. Tomate – 16,3%
Ps: Porcentagem das amostras contaminadas

 

Pimentão vermelho e amarelo

O pimentão é o campeão em agrotóxicos

Na conta do consumo prolongado desses alimentos podem estar desde dores de cabeça, alergias, problemas na visão, doença de Parkinson e até mesmo câncer. Além do adoecimento, o envenenamento por agrotóxicos mata.

O Brasil teve 40 mil casos de intoxicação aguda por agrotóxicos entre os anos de 2007 e 2017. A tragédia resultou em quase 2 mil mortes no mesmo período. Nada inofensivo. Porém, os agrotóxicos matam uns e enriquecem outros.

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente, o IBAMA, o Brasil consumiu quase 500 mil toneladas de defensivos agrícolas em 2017. Esse mercado movimentou 33 bilhões de reais apenas no ano relatado. Será essa a dificuldade em combater a utilização destes pesticidas?

 As principais vítimas fatais dos agrotóxicos são os agricultores, mas o veneno também chega à sua mesa. Todos os dias, de pouquinho em pouquinho, essas toxinas se alojam nas nossas células, fazendo nosso fígado e rins trabalharem dobrado na árdua tarefa de expulsá-las do nosso organismo. O fato é que nosso corpo não foi programado para metabolizar e eliminar esses agentes tóxicos.

A pergunta que fica é: como se proteger de todo este mal? Afinal, ninguém aqui pretende parar de consumir frutas e legumes, não é mesmo?

 Pesquisamos a fundo, conversamos com especialistas em saúde natural e a seguir vamos mostrar 3 superalimentos que podem ajudar a gente a fazer uma faxina no corpo.

Estas verdadeiras armas – que você não fica sabendo por meio de nenhum programa de televisão – podem auxiliar no processo de ficar blindado do envenenamento por agrotóxicos:

#1 CHLORELLA

Cápsulas verdes de chlorella

Chlorella: a faxineira do organismo

O QUE É CHLORELLA? A chlorella está no topo da lista dos melhores desintoxicantes por vários motivos. Riquíssima em vitaminas, proteínas, minerais e em clorofila, a microalga verde pode auxiliar na melhora da imunidade e também é campeã no quesito detox.

A estrutura molecular da chlorella é tão perfeita que pode ajudar a expulsar as substâncias químicas acumuladas em nosso corpo, incluindo os pesticidas das frutas e vegetais que consumimos pela alimentação.

Um estudo conduzido em um hospital do Japão mostrou que a chlorella também foi capaz de reduzir os níveis de uma toxina altamente cancerígena do organismo chamada dioxina.

Essa substância é resultante do processo de fabricação dos herbicidas utilizados na agricultura, e, infelizmente, fica alojada nos nossos tecidos adiposos. Vale lembrar que a chlorella é um dos suplementos mais usados na terra do sol nascente.

Será esse o segredo da longevidade dos japoneses?

SUGESTÃO DE CONSUMO: esse superalimento pode ser encontrado em pó ou na forma de cápsulas e comprimidos.

#2 SPIRULINA

Suplemento verde de spirulina

A spirulina auxilia na eliminação de arsênio

O QUE É SPIRULINA? A spirulina já foi chamada de alga azul e até de prima da chlorella. Na verdade ela é uma cianobactéria, ou seja, um grupo de bactérias que obtêm energia por meio da fotossíntese em águas doces com pH elevado.

A spirulina é uma excelente fonte de minerais, vitaminas e compostos antioxidantes. Quando falamos de detox, também oferece uma imensa ajuda no processo de limpeza do corpo, auxiliando principalmente na eliminação de arsênio que está presente no arroz que comemos.

O arsênio é encontrado na água, no solo e nos fertilizantes, e durante o cultivo de arroz vai parar diretamente na nossa corrente sanguínea. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a exposição prolongada à substância pode causar muitos danos à saúde, inclusive câncer.

Em Bangladesh, país que está entre os cinco maiores produtores do grão do mundo, um estudo mostrou que a spirulina reduziu pela metade a intoxicação por arsênio em pacientes que suplementaram spirulina por 4quatromeses.

SUGESTÃO DE CONSUMO: você pode encontrar esse superalimento em lojas físicas ou virtuais em versões em pó, cápsulas ou comprimidos. Fique atento com a procedência do fornecedor e leia o rótulo.

#3 COENTRO

Folhas de coentro ajudam a fazer detox

Coentro ajuda a expulsar os metais tóxicos do organismo

COENTRO? Sim, aquele tempero que nem todo mundo gosta é uma arma que pode ser aliada no processo de desintoxicação do organismo.

Especialistas em saúde natural sabem que a erva pode ajudar na digestão e auxiliar o corpo a eliminar substâncias nocivas. Até uma revista bem famosa publicou que o coentro pode favorecer a excreção de metais pesados depositados em nosso organismo.

Diariamente, somos expostos a vilões como mercúrio, chumbo, cádmio e cromo que chegam até nós pelos alimentos naturais cheios de agrotóxicos que consumimos.

Esses metais pesados são amplamente encontrados no solo, na água e nos fertilizantes usados nas lavouras. Em longo prazo, eles podem causar intoxicação, envenenamento e danos irreversíveis ao sistema nervoso.

Um estudo conduzido por pesquisadores do Irã e publicado no Journal of Birjand University of Medical Sciences mostrou evidências de que o coentro pode ser uma alternativa para auxiliar na eliminação de metais tóxicos como mercúrio do organismo.

SUGESTÃO DE CONSUMO: o coentro pode ser consumido em forma de chá ou no tempero da sua comida. Também é possível encontrá-lo nas versões extrato ou tintura em casas de produtos naturais.

Vegetais orgânicos

Alimentos orgânicos são livres de pesticidas

Lembre-se: a melhor maneira de ficar longe dos agrotóxicos ainda é dar preferência para os alimentos orgânicos.