Uma raiz para reacender o desejo sexual na quarentena



Depois do coronavírus fazer milhares de vítimas na China, onde a doença começou, a quarentena forçada deixou outras consequências inesperadas.

Na cidade de Xi’am, que tem um número de habitantes parecido com o de São Paulo capital (12 milhões de moradores), houve um recorde de pedidos de divórcio nas semanas após o confinamento.

Pois é, viver com alguém sob o mesmo teto neste período de estresse econômico e isolamento social pode ser desafiador.

O estresse certamente deve estar afetando a vida conjugal de muitos casais, e não há chama que acenda sob tensão.

Agora imagina quem começou a quarentena já com queixas de ereção?

Uma raiz para as noites mornas pegarem fogo

Nessa rotina monótona que todos nós estamos vivendo, uma raiz peruana pode ajudar a melhorar a libido de homens e mulheres, e de quebra, ainda auxiliar a imunidade frente à infecções e doenças (você já irá saber o nome dela).

Isso graças ao uma molécula chamada óxido nítrico. Estudos mostram que o óxido nítrico melhora o fluxo sanguíneo e ajuda a manter a nossa pressão sanguínea ideal.

Com o sangue fluindo sem barreiras, os nossos processos fisiológicos podem funcionar melhor, ajudando inclusive que os nutrientes alcancem os órgãos onde eles são necessários, fortalecendo nosso sistema imune.

Dentro do nosso corpo, o óxido nítrico também desempenha ações anti-inflamatórias e antioxidantes, além de ter um papel importante para a nossa saúde cardiovascular.

Como a molécula promove o relaxamento dos vasos sanguíneos e favorece a boa circulação, isso pode ajudar a manter as nossas artérias livres de placas ou entupimento, auxiliando na prevenção de infarto.

E já que estamos falando de uma substância vasodilatadora, ela também pode ajudar a combater a disfunção erétil.

Isso porque o óxido nítrico melhora a oxigenação e a circulação de todo nosso organismo, inclusive a da região do pênis, e isso pode resultar em ereções mais fortes e melhor desempenho sexual. É assim que o “azulzinho” funciona.

A raiz para reacender o desejo sem sair de casa

raiz maca peruana

Maca peruana não ganhou fama de afrodisíaca à toa

A maca peruana é um superalimento conhecido como afrodisíaco há mais de 2 mil anos.

A raiz é fonte de um aminoácido chamado arginina, uma substância considerada precursora do óxido nítrico.

Em outras palavras, ela auxilia na melhora do fluxo sanguíneo e favorece ereções mais duradouras.

Só que diferente do ‘azulzinho’, a maca não oferece efeitos colaterais perigosos.

Um estudo divulgado no Journal of Andrology apontou que homens que consumiram a raiz andina relataram uma melhora no quadro de disfunção erétil após 12 semanas de suplementação.

Pesquisas também mostram que a maca peruana reduz os sintomas de secura vaginal e alterações de humor em mulheres em fase de menopausa, sabia?

Perfeito para reacender a chama das relações mais duradouras, não? Ainda mais nesses tempos de isolamento social.

Médicos e nutricionistas funcionais costumam recomendar extrato puro de maca peruana, em doses a partir de 350 mg ao dia.

Se você ficou interessado, é importante destacar que nenhum suplemento alimentar faz milagres sozinho.

Para fazer valer a potência da raiz, opte por uma alimentação baixa em açúcares e carboidratos, mantenha seu corpo ativo e tome sol sempre que possível.

Não deixe de cuidar da sua saúde e a de quem você ama nessa quarentena.

Se você gostou desse artigo, compartilhe nas redes sociais.

 

Fontes:

Nitric oxide and the immune response

Brazilian Journal of Infectious Diseases

Gonzales, G. F. et al. Effect of Lepidium meyenii (MACA) on sexual desire and its absent relationship with serum testosterone levels in adult healthy men. Andrologia. 2002 Dec;34(6):367-72.

Beneficial effects of Lepidium meyenii (Maca) on psychological symptoms and measures of sexual dysfunction in postmenopausal women are not related to estrogen or androgen content.