Tudo o que você queria saber sobre Ômega 3



Quando falamos de gordura, há um tipo que você definitivamente não quer cortar da sua vida.

Falo, claro, dele. O Ômega 3.

Você já deve ter ouvido falar nos poderes desse nutriente poderoso.
Bom, para começo de conversa o Ômega 3 não é um único elemento, mas uma família de ácidos-graxos essenciais. São 3 tipos de ômega-3:

1) Ácido alfa-linolênico (ALA);
2) Ácido eicosapentaenoico (EPA);
3) Ácido docosahexaenoico (DHA).

Não à toa eles são chamados de essenciais, visto que o seu corpo realmente precisa deles, não é capaz de fabricá-los internamente e que, portanto, devem ser incluídos na alimentação.

O valor nutricional desses ácidos graxos é reconhecido pela comunidade científica pelo fato deles serem determinantes no bom funcionamento do corpo.

Há mais de 23 mil artigos científicos que mostram, além de seu papel nutricional na dieta, a influência dessa gordura na prevenção e tratamento de inúmeras doenças cardiovasculares, neurodegenerativas e autoimunes.

Entre eles: arritmias, acidente vascular cerebral (AVC), hipertensão (pressão alta), Parkinson, Alzheimer, depressão pós-parto, autismo, esclerose múltipla, artrose, artrite reumatoide, osteoporose e câncer!

Benefícios do Ômega 3

E olha o que ômega 3 pode fazer para a sua saúde:

  • Melhora circulação de oxigênio pelo corpo;
  • Aumenta a comunicação de neurônios
  • Anticoagulante (afina o sangue)
  • Estabiliza a atividade elétrica do coração;
  • Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL) e diminui o colesterol ruim (LDL)
  • Regula a pressão sanguínea
  • Flexibiliza as veias e artérias
  • Potencializa o desempenho cognitivo
  • Fortalece o sistema imunológico
  • Protege a retina
  • Reduz inflamação (ação anti-inflamatória)
  • Ajuda no combate à depressão
  • Menor risco de parto pré-maturo
  • Diminui o risco de nascimento de crianças com paralisia cerebral
ESTÁ GOSTANDO DESSE ARTIGO?
Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos e novos produtos!

* Não vamos distribuir seu e-mail

A Suplementação do Ômega 3

A nossa alimentação atual é carente de ômega 3 devido à dificuldade de ingerir a quantidade diária indicada.
Para aqueles que não conseguem obter a “gordura do bem” por meio das refeições, com a ingestão de peixes, linhaça ou chia, a suplementação acaba sendo um caminho necessário.

Existem várias formas de suplemento de ômega 3 disponíveis no mercado. Porém, o mais importante é observar se o produto é de boa qualidade, de procedência confiável.

Um bom ômega 3, deve seguir as seguintes premissas:

  • Ser ultrafiltrado
  • Livre de mercúrio
  • Ter uma boa concentração de DHA e EPA.

No Brasil, infelizmente, poucas marcas preenchem esses requisitos e a grande maioria está contaminada com mercúrio, oferecendo um risco maior do que o benefício.

Também é bem comum existir produtos que vendem o ômega 3 de forma impura e oxidado, o que é altamente prejudicial.

Por essa razão, sempre fique atento no rótulo antes de comprar.

Desconfie de marcas muito baratas. Não há jeito de economizar com a suplementação do ômega 3 devido à dificuldade de conseguir trazer o nutriente sem danificar. É um processo que custa caro.

Alimentos ricos em Ômega 3

Em linhas gerais, ômega 3 é encontrado nos peixes marinhos de águas profundas e geladas, como salmão, arenque e sardinha.

Atenção para salmão: salmão de criadouro como fonte de ômega 3 é enganação. O ideal é se alimentar do salmão selvagem, muito difícil de ser encontrado.

A grande maioria do salmão vendido no Brasil costuma vir de criações no Chile em que o peixe se alimenta de rações pobres em ômega 3 e riquíssimas em ômega 6 – que tem efeito inflamatório.

Além disso, são adicionados corantes no peixe para ficar com a carne avermelhada. Portanto, evite. É melhor usar e abusar das sardinhas.

As sementes da chia, linhaça, castanhas, nozes e azeite de oliva extra virgem também carregam uma porção interessante de ômega 3. Porém, dentre as fontes vegetais, o óleo de linhaça é o alimento mais rico.