Vitaminas.com.vc

Esta combinação de nutrientes pode apoiar a saúde da próstata



Lembra daquele ditado popular que diz “um é pouco, dois é bom e três é demais”?

Para nossa conversa de hoje, permita-nos adaptar essa frase: um já é bom, dois pode ser ótimo e três (ou mais) é excelente!

O assunto da vez são nutrientes-chave que, quando consumidos em conjunto, podem auxiliar no combate à diversas doenças que derrubam a saúde da próstata.

O primeiro deles provavelmente você já ouviu falar por aqui: óleo de sementes de abóbora.

A substância é rica em beta-sitosterol, uma espécie de gordura boa produzida pelas plantas que ajuda a atacar uma enzima de nome complicado chamada 5-alfa-redutase.

Quando essa enzima está descontrolada (o que pode acontecer quando os homens cruzam a faixa dos 40, 50 anos…), a saúde masculina fica muito mais vulnerável para levar uma rasteira dessa traiçoeira e sofrer com o crescimento exagerado da próstata.

Mas e se te contarmos que a saúde da glândula masculina pode ser ainda mais favorecida com um poderoso aliado?

Estamos falando do zinco.

Assim como o óleo de sementes de abóbora, o zinco é uma espécie de “guardião” da próstata que bloqueia a ação da enzima 5-alfa-redutase, impedindo que ela converta testosterona — o hormônio masculino — em DHT (dihidrotestosterona).

Como explicamos anteriormente, todo esse mecanismo, quando está fora de controle, contribui para a proliferação de células da próstata e pode fazer com que a glândula multiplique de tamanho, causando jato fraco, pinga-pinga e até a queda da libido…

Por outro lado, quando os níveis de zinco no organismo estão adequados, a 5-alfa-redutase se comporta muito melhor e os riscos de acabar com uma próstata inchada são menores.

Essa constatação vem de um trabalho científico feito por pesquisadores da Universidade de Oklahoma, nos Estados Unidos.

Outro ponto de atenção é que a deficiência de zinco pode elevar o risco de câncer de próstata.

Um estudo recente publicado na revista científica Frontiers in Oncology reuniu, inclusive, 16 estudos que concluíram que há uma redução de 60% a 80% nos níveis de zinco em homens diagnosticados com câncer de próstata.

Deu pra entender como esse mineral é importante para uma vida longeva?

Além do zinco, vale lembrar que outros elementos como cobre, selênio, molibdênio e licopeno também são peças interessantes para fazer uma bela faxina no corpo.

Afinal, como cozinhar se a pia estiver com a louça suja? Não tem jeito: é preciso dar um trato na área para depois preparar a comida.

O mesmo vale para o nosso corpo. Ele não consegue trabalhar de forma otimizada se a sua “base” estiver toda bagunçada.

Entram aí esses nutrientes-faxineiros que podem ajudar a limpar o organismo para expulsar os radicais livres (moléculas tóxicas) e os danos causados por eles, uma vez que “enferrujam” o corpo e o torna mais frágil para o surgimento de doenças.

Assista ao vídeo abaixo para ficar por dentro de mais detalhes sobre a importância desse combo de substâncias para a sua saúde prostática:

Você também pode gostar de saber…

Se você quer abastecer o seu organismo com esses nutrientes, precisa saber que o Pro Sense é um suplemento natural de óleo premium de sementes de abóbora com garantia de pureza, cujo consumo regular pode enriquecer sua alimentação e ajudar a proteger a saúde masculina. Clique para conhecer.

Para aumentar seu aporte de zinco, o Z Sense é uma opção. Sua fórmula também conta com licopeno, cobre, manganês, selênio, cromo, molibdênio e boro em dosagens ideais que podem auxiliar na proteção da saúde masculina. Clique para saber mais.

Referências bibliográficas:

  • Dietary Zinc Deficiency Alters 5a-Reduction and Aromatization of Testosterone and Androgen and Estrogen Receptors in Rat Liver. Department of Food and Nutrition, College of Home Economics, Hanyang University, Seoul, Korea and Department of Anatomical Sciences, University of Oklahoma College of Medicine, Oklahoma City, OK 73104. 
  • Sauer AK, Vela H, Vela G, Stark P, Barrera-Juarez E, Grabrucker AM. Zinc Deficiency in Men Over 50 and Its Implications in Prostate Disorders. Front Oncol. 2020;10:1293. Published 2020 Aug 6. doi:10.3389/fonc.2020.01293.