Saúde do coração: quando o stent não é necessário



Há uma parte de seu corpo que não descansa nunca: seu coração

Só para você ter uma ideia de sua importância, ele é o primeiro órgão que se forma no corpo humano durante a gestação.

E outra curiosidade: se quiser ter uma noção do tamanho desse operário incansável, basta fechar sua mão e observar o seu punho.

Quando saudável e robusto, o coração pesa cerca de 400 gramas, bate cerca de 70 vezes por minuto e é o responsável pelo bombeamento do sangue pelo corpo todo.

Quase ninguém valoriza o trabalho dele, exceto quando toma um susto ou começa a sentir dor no peito, pontadas ou falta de ar após subir uma escada, não é?

Assim como não o notamos, quase ninguém percebe quando começa a ficar com as artérias entupidas, chamada pelos médicos de aterosclerose.

Com a circulação sanguínea prejudicada pelas placas acumuladas nas paredes dos vasos, começa a ocorrer o que os cardiologistas chamam de isquemia cardíaca.

Nessa situação, o coração passa a receber menos nutrientes e menos oxigênio, e por meio da dor (ou até mesmo do infarto) avisa que está precisando de cuidados.

Nos exames de rotina, assim que um entupimento de artéria é detectado, é comum que o paciente receba a indicação de fazer uma angioplastia ou de implantar um stent por meio de um procedimento invasivo.

stent cardíaco aterosclerose

Estudo questiona eficácia do stent para prevenir infartos

Para quem não sabe, o stent é uma espécie de mola metálica colocada no interior da artéria com a ajuda de um cateter para permitir a passagem do sangue e do oxigênio.

Só que um grande estudo recente bancado pelo governo dos Estados Unidos fez um alerta sobre o stent que você precisa saber.

Os procedimentos invasivos não são melhores do que outras estratégias para prevenir o infarto.

E mais: em pacientes com doença cardíaca estável, tanto a angioplastia quanto o stent não reduzem o número de mortes.

Nestes casos, são desnecessários e ainda podem trazer riscos (por doença cardíaca estável consideram-se aqueles que sentem dor após esforço físico, mas que passa após repouso e também os que descobrem as alterações no teste ergométrico, no ecocardiograma ou na cintilografia).

Neste trabalho, batizado de Ischemia, os pesquisadores avaliaram 5.179 pacientes de diversas nacionalidades com redução do fluxo sanguíneo para o coração (399 brasileiros participaram).

Metade dos indivíduos foi tratada com stent ou cirurgia de ponte de safena.

A outra metade recebeu medicamentos e, embora apareça sem grande destaque na publicação, está lá para quem quiser ver: esse grupo também fez mudanças de estilo de vida.

Mas quais mudanças eles fizeram e o que ganharam com isso?

Eles perderam peso, reduziram ou cortaram o cigarro, controlaram a pressão alta, monitoraram o colesterol ruim (LDL) e não precisaram “entrar na faca’”.

Após três anos e três meses de acompanhamento, os cientistas concluíram que não houve diferença nas taxas de mortalidade, de infartos e de hospitalizações por doença cardíaca nos dois grupos.

A partir da bomba revelada pelo estudo Ischemia, se esses procedimentos desnecessários forem evitados, o governo americano deverá economizar cerca de 570 milhões de dólares a cada ano.

4 dicas para quem deseja ter um coração mais forte:

✓ Caminhe e suba escadas sempre que possível

✓ Corte pães, massas e alimentos industrializados açucarados do cardápio, pois esses alimentos são os verdadeiros formadores de placas nas artérias

✓ Boas fontes de gordura não entopem as artérias

✓ Os ácidos graxos da família ômega 3 (EPA e DHA) são os melhores amigos do seu coração, principalmente o EPA.

sardinha ômega 3

Sardinha é alimento rico em ômega 3

Como comprar um bom ômega 3?

O ômega 3, nutriente presente em peixes gordurosos de águas profundas, tem ação vasodilatadora, isto é, favorece o relaxamento das paredes das artérias, facilitando o fluxo sanguíneo e prevenindo a formação de placas de ateroma.

Escolha um suplemento com doses equilibradas de EPA e DHA, ultrafiltrado, livre de impurezas com vitamina E na composição.

Fuja de fórmulas que levem óleo de soja.

Medidas simples como essas, livres de efeitos colaterais, podem tornar o seu coração antiplaca e anti-infarto.

Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

 

Fonte:

https://www.ischemiatrial.org/