Vitaminas.com.vc

Buraco macular: é possível prevenir a doença?



Você já ouviu falar em uma doença chamada buraco macular?

A mácula é um ponto pequenininho de cor amarela localizado no centro da sua retina.

A principal função da mácula é processar os pequenos detalhes dos objetos à sua frente, como rostos ou o texto que você está lendo agora.

Pois bem. Embora a degeneração macular relacionada à idade (DMRI) e o buraco macular atinjam a mácula e afetem a visão central, elas são doenças diferentes.

A degeneração macular relacionada à idade, infelizmente, é uma das grandes causas de cegueira irreversível em pessoas que passaram dos 60 anos e pode começar a fazer quem tem enxergar assim:

dmri degeneração macular

DMRI afeta visão central

A degeneração macular é caracterizada pelo processo de envelhecimento e pelo desgaste dos tecidos da mácula, e também pode ter a pressão alta, o diabetes, a deficiência nutricional e uma alimentação baixa em antioxidantes como possíveis causas.

Inclusive, existe um estudo bem consolidado, chamado AREDS2, que demonstrou que uma combinação especial de nutrientes pode impedir ou retardar em até 25% a progressão da doença, sabia?

Os mais importantes são a luteína e a zeaxantina, substâncias naturais responsáveis por darem as cores amarela e verde a alimentos como couve, brócolis e gemas de ovos.

Quando ingerimos esses pigmentos através da alimentação ou da suplementação, eles se deslocam para a mácula e formam uma espécie de escudo protetor em nossos olhos, possibilitando uma visão com mais foco e clareza.

Entendendo o buraco macular

É possível prevenir o buraco macular?

Sabia que é possível nutrir seu globo ocular e prevenir o buraco macular ou até mesmo apoiar o seu organismo para que uma recuperação espontânea ocorra? Olha só!

O olho contém uma substância gelatinosa chamada vítreo.

À medida que envelhecemos, o vítreo, que é o gel que preenche o globo ocular, vai ficando mais aquoso e vai se afastando da superfície da retina.

No início desse processo, o indivíduo pode notar o aparecimento das chamadas moscas volantes.

Conforme o vítreo vai encolhendo, ele pode “rasgar” a retina, dando início a um buraco macular.

Dependendo do tamanho do buraco, uma cirurgia chamada vitrectomia pode ser indicada.

Agora, em estágios iniciais, o tal buraco da mácula pode fechar sozinho.

Ilustração do olho humano

Ilustração do olho humano

Estudos sugerem que há uma associação entre a densidade do pigmento macular à incidência de buracos maculares.

Pesquisadores da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, apontaram que uma série de nutrientes, incluindo a luteína e a zeaxantina, podem ajudar a preservar a visão justamente por constituírem o pigmento macular e formarem um escudo protetor em nossos olhos.

Um outro estudo publicado no Jornal Europeu de Oftalmologia mostrou que baixos níveis de ácido hialurônico também contribuem para a deterioração do vítreo, que é o gel do globo ocular.

Para fechar a conversa, de acordo com informações da Escola de Saúde Pública de Berkeley, quem tem retinopatia diabética e miopia também corre maior risco de ter um buraco macular.

Sabendo disso, controle os níveis de açúcar no sangue para evitar a retinopatia diabética, e tome sol sem óculos escuros, pois já se sabe que passar muito tempo em ambientes fechados com telas de celulares e TVs pode favorecer o desenvolvimento da miopia.

Já para obter bons níveis de luteína e zeaxantina, consuma couve e brócolis refogados sempre que possível.

Agora, para absorver ácido hialurônico, você pode fazer um caldo de ossos de frango tomar com frequência.

Doses mais potentes desses nutrientes podem ser encontradas em suplementos alimentares de qualidade.

Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Fontes:

The Age-Related Eye Disease Study 2 (AREDS2): Study Design and Baseline Characteristics (AREDS2 Report Number 1)

Fixing A Macular Hole | School of Public Health | UC Berkeley

L. Sauer, S. Peters, et al., Monitoring macular pigment changes in macular holes using fluorescence lifetime imaging ophthalmoscopy, Acta Ophthalmologica, October, 2016.

J. M. Stringham, et. al., Macular carotenoid supplementation improves disability glare performance and dynamics of photostress recovery, Eye & Vision, November, 2016.

V. Meyer Zu Westrup, et. al, Changes of macular pigment optical density in elderly eyes: a longitudinal analysis from the MARS study, International Journal of Retina and Vitreous, June, 2016.

S. Fujimura, K. Ueda, et al., Preliminary analysis of the relationship between serum lutein and zeaxanthin levels and macular pigment optical density, Clinical Ophthalmology, October, 2016.

K. Kaprinis, et al, Decreased hyaluronan concentration during primary rhegmatogenous retinal detachment, European Journal of Ophthalmology, November, 2016.